BRASIL

http://ppresotto.zip.net

DEUTSCHLAND

 




 

 

BLOG DO PP
 


 

EDITOR
Persio Presotto

COLABORAÇÃO
Clara Albuquerque, Júnia Turra, Karlla Patrícia,
Maurício Luiz Aires, Raissa Póvoa, Stefan Kuper,
Valter Bernat, Vanessa Ruiz
 

RECORDAR É VIVER



Grêmio Foot-Ball
Porto Alegrense
Taça Libertadores - 2009

 

HARMONIA



Hino ao Amor

Maysa

 

MURAL DE RECADOS



 



MAIS PP


 


EDITORIAS

  Todas as Categorias
  A OPINIÃO DO PP

 

PESQUISE NO BLOG DO PP

HISTÓRICO

O BLOG DO PP INDICA


  O Boletim
  Noite&Cia
  Blog do PVC
  Futebolandia
  A Hora ONLINE
  Museu do Futebol
  Pitacos do Bodaum
  Blog do Mino Carta
  Blog do Juca Kfouri
  Mandando Pra Rede
  Futebol na Alemanha
  Entrelace - Vanessa Ruiz
  Blog da Clara Albuquerque
  Abre Aspas - Raíssa Póvoa
VOTAÇÃO
  Dê uma nota para meu blog


PRÊMIOS





     VISITAS

  online

O que é isto?



PARCEIROS















 
COMBATE AO CRIME
NA INTERNET





DE ONDE VOCÊ É?


 


HORA CERTA



 

 

A FRASE DO DIA
 
Eu joguei em 2006 em Caracas, na Venezuela, pela Libertadores, quando o Rogério estava servindo
à Seleção Brasileira. Com certeza o jogo de
Libertadores é um jogo especial

BOSCO, goleiro do São Paulo, que, hoje, enfrenta o Independiente de Medelín, na Colômbia, no lugar do capitão Rogério Ceni
 

A OPINIÃO DO PP



 
 

PUBLICADA NO MPR, DIA 9 DE FEVEREIRO

A volta da camisa 9

Por PERSIO PRESOTTO

Na década de 60, quando o Santos da Era Pelé entrava em campo, todos sabiam que a camisa 10 era a do Rei e a 9, de Coutinho.

Em 70, embora vestisse a 10 no Cruzeiro, Tostão era o 9 da Seleção Brasileira. E que 9!
 
Já na década de 80, havia uma legião de craques camisas 9, que eram centroavantes por excelência. Casagrande, no Corinthians, Careca, no São Paulo, Serginho Chulapa no Santos...
 
Nos anos 90, quem não se lembra do matador Evair, o 9 do Palmeiras?
 
Jogador raçudo, determinado que tinha verdadeiro prazer em estufar as redes adversárias.
 
O tempo passou e "o" camisa 9, assim como "o" 10, entrou em extinção no futebol brasileiro.
 
Não havia um matador, um definidor, alguém que marcasse os gols, independente da dificuldade que era enfrentada.
 
Pra nossa sorte esse calvário chegou ao fim.
 
Em pleno Século 21 o Brasil volta a ter um verdadeiro exército de camisas 9.
 
No São Paulo, tem Washington, no Palmeiras, Keirrison, no Santos, Kléber Pereira e no Corinthians, Ronaldo(?).
 
Washington, Keirrison e Kléber Pereira, só pra lembrar, foram os artilheiros do Campeonato Brasileiro de 2008, com 21 gols cada.
 
E no Paulistinha de 2009, até o desfecho da 6ª rodada, os três somam 4 gols.
 
Ronaldo, em recuperação, tem fama de artilheiro.
 
Ao menos foi assim quando defendeu o Cruzeiro, o PSV da Holanda, o Barcelona e a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002, na Coréia do Sul e no Japão.
 
E essa prova dos nove não acaba aqui, em São Paulo.
 
Há Obina, no Flamengo, Alex Mineiro, no Grêmio, Nilmar, no Internacional.
 
Tudo jogador de primeira linhagem.
 
Gente que entusiasma o torcedor e nos provoca um raro sorriso ao final de cada partida.


pp@oboletim.com.br



Escrito por Persio Presotto às 11h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




 
 

RESUMÃO

2008 foi assim...

Por PERSIO PRESOTTO

NO PAULISTINHA

O Palmeiras iniciou a temporada de 2008 mostrando força total, com um time muito bem organizado no meio de campo, com Valdívia e Pierre, tendo as opções de Diego Souza e Denílson e no ataque com Alex Mineiro. A qualidade era tanta que o alviverde superou o São Paulo, de Muricy Ramalho e Rogério Ceni em dois jogos pela semifinal e se sagrou campeão ao levar a melhor diante da Ponte Preta, também em dois jogos.

NA COPA DO BRASIL
O Sport Recife fez da Ilha do Retiro a sua La Bombonera e não deu trégua para os grandes favoritos, como o Internacional e o Palmeiras. Decidiu a taça com o Corinthians, que realizara uma péssima campanha no Paulistinha e ainda tinha nas costas o fantasma do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Resultado: Leão do Norte, com Nelsinho Baptista como técnico, campeão da Copa do Brasil e com vaga assegurada na Taça Libertadores de 2009.

NA TAÇA LIBERTADORES
O São Paulo, considerado o grande favorito ao título, foi eliminado pelo Fluminense, nas Quartas-de-Final, com gol de Washington, na vitória por 3 a 2, aos 46 minutos do segundo e decisivo jogo, realizado no Maracanã. Muitas piadinhas foram feitas por isso. A mais famosa delas foi que o São Paulo abriu mão de ir para Tóquio - onde o Mundial Intercliubes era disputado - para ir a Washington.

Piadas à parte, o Flu, de Renato Gaúcho, aquele que pretendia brincar no Brasileirão, acabou surpreendido pela LDU, do Equador: perdeu por 4 a 2 em Quito e venceu por 3 a 1 no Maracanã. Nas penalidades, a LDU fez 3 a 1 e festejou a inédita conquista, reeditando o Maracanazzo 58 anos depois. No Japão, a equipe equatoriana foi à final do Mundial Interclubes e acabou derrotada pelo Manchester United, da Inglaterra, por 1 a 0, gol de Wayne Rooney.

NA SÉRIE B
Com equipes muito abaixo da expectativa, a Série B do Campeonato Brasileiro não foi um obstáculo insuperável para o Corinthians do artilheiro Dentinho e dos motivados Herrera e Douglas. Tanto é verdade que o alvinegro do Parque São Jorge assegurou seu retorno à Série A de forma antecipada e foi o campeão, tendo apenas três derrotas em 38 partidas disputadas.

NA SÉRIE A
Nunca um Brasileirão foi tão disputado e emocionante. Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras chegaram a ocupar a liderança e sonharam com o título. O Grêmio foi o campeão do primeiro turno, mas nada levou. Já o São Paulo, campeão do segundo turno, ergueu a taça como legítimo Tricampeão e o único clube a ter 6 Brasileiros.

NAS OLIMPÍADAS DE BEIJING
A constatação do óbvio: o Brasil não é, nunca foi e está longe de ser uma potência olímpica. Foram três medalhas de ouro apenas: uma na natação, uma no vôlei feminino de quadra e outra no salto à distância feminino. César Cielo - que treina nos Estados Unidos -, as meninas comandadas por José Roberto Guimarães - o único Bicampeão Olímpico - e Maurren Maggi merecem nossas homenagens e reverências, diferentemente do COB que dá de ombros para os nossos atletas e sequer apresentou o balanço com os gastos no Pan-Americano no Rio de Janeiro, em 2007.

Em 2009 vai ser assim...

SÃO-FLU
O São Paulo, ao que tudo indica, foi o clube paulista que melhor investiu para a temporada 2009. Numa tacada só trouxe bons jogadores do Fluminense: o lateral esquerdo Júnior Cesar, o volante Arouca e o atacante Washington. Reforços de alto nível, que poderão dar bons frutos para o Tricolor do Morumbi, principalmente na Taça Libertadores das Américas.

RENASCIMENTO
O Corintthians retornou para a Série A do Campeonato Brasileiro e terá de provar que não foi apenas pela fragilidade dos seus rivais na Segundona. Para o chamado renascer das cinzas, o alvinegro investiu na contratação do atacante Ronaldo, campeão do mundo com a Seleção Brasileira em 1994 e em 2002 e vice em 1998. Para uns, a vinda do Fenômeno foi uma excepcional jogada de marketing. Para outros, uma jogada de risco, tanto para Ronaldo como para o Corinthians. Seja como for, a coluna torce para que o atacante realize um bom trabalho e garanta a festa da torcida.

IGUAL 2008
O Palmeiras, a exemplo do que fez em 2008, contratou um atacante de peso para iniciar a luta por títulos. Ano passado, o contratado foi Alex Mineiro, de participação decisiva no Paulistinha e bastante discreta no Campeonato Brasileiro. A bola da vez para 2009 é Keirrison, ex-Coritiba, que marcou 21 gols no Nacional. Uma andorinha só fará verão? Parece difícil, bem difícil, mesmo!

TAÇA LIBERTADORES
São Paulo, Grêmio, Sport Recife e Cruzeiro estão garantidos na fase de grupos da principal competição Sul-americana de clubes. Falta o Palmeiras, que, na Pré-Libertadores, terá de enfrentar a altitude boliviana, diante do Real Potosí. Dentre os cinco, São Paulo e Grêmio largam na frente no que diz respeito ao favoritismo.

DESESPERO
Não podemos esquecer que este será o ano decisivo para saber se a Seleção do Dunga, ou melhor, a Seleção Brasileira conseguirá ou não a classificação para a Copa do Mundo na África do Sul. No momento, o Brasil é o vice-líder nas Eliminatórias Sul-Americanas. E só está nessa situação por sorte, não por competência.

NÃO CHOREM
A coluna entrará em férias. Voltará somente no dia 9 de fevereiro. Até lá!



Escrito por Persio Presotto às 18h52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




 
 

NOITE DE NATAL

Inesquecível!

Por PERSIO PRESOTTO

Há duas semanas que ensaio escrever sobre aqueles que se destacaram no Campeonato Brasileiro de 2008. Na primeira oportunidade, quem não permitiu foi Ronaldo, o Fofômeno, anunciado como o novo reforço do Corinthians para 2009. Na semana seguinte, deixei meu lado noveleiro falar mais alto ao comentar as maldades da terrível Flora, de Patrícia Pillar, em "A Favorita", de João Emanoel Carneiro, exibida na Rede Globo no horário das 21h.

Hoje, na última coluna do ano, novamente deixarei de lado o Brasileirão de 2008.

Perdoe-me o ansioso leitor pelas análises nada parciais deste são-paulino que sorri de orelha a orelha pela conquista do sexto título Brasileiro, o terceiro consecutivo, mas há coisas mais interessantes para se falar por agora.

Como foi o seu Natal?

O Papai Noel foi generoso ou precavido, por influência da crise econômica que afeta o mundo? Por aqui, nem generoso, nem precavido. Foi camarada.

Meu sobrinho, de apenas 3 aninhos, que o diga!

O bom e jovial velhinho (rs) apareceu por duas vezes.

Na madrugada do dia 24 para o dia 25, quando é feita a tão famosa e aguardada troca de presentes, quem acabou presenteado foi o Papai Noel.

Logo que o bom velhinho apareceu, meu sobrinho, com o olhinho brilhando e todo sorridente, foi ao encontro dele para receber um caloroso e emocionado abraço.

Já no sofá, com o saco cheio de brinquedos e o garoto no colo, a surpresa maior:

"Papai Noel, eu tenho um presente pro senhor!".

"É verdade, meu filho?! Mas que maravilha!".

"Disseram pra entregar a minha chupeta pro senhor, Papai Noel! Eu não uso mais. Agora eu tô grande"

Bom... nem precisa explicar, né...

O Papai Noel deu um forte abraço, um beijo naquele pinguinho de gente e se segurou para não chorar!

No dia seguinte, com a sala toda bagunçada, com brinquedos espalhados pelos quatro cantos, Papai Noel retornou, para saber se o pequeno havia gostado ou não dos brinquedos e, também, para conversar um pouquinho...

Desta vez, sem o saco com brinquedos, o ilustre habitante do Pólo Norte causou decepção (rs):

"Ele não trouxe presente agora, vovó!"

A gargalhada foi geral.

Mas, ainda assim, ganhei (ops... o Papai Noel ganhou) um beijo e um inesquecível abraço.

Tão inesquecível, que emociona!

Grande abraço a todos e excelente 2009!



Escrito por Persio Presotto às 16h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




 
 

TELENOVELA/A SAPATADA

Sapatada ou sifu? Eis a questão

Por PERSIO PRESOTTO

Não acompanhei absolutamente nada do noticiário esportivo de uma semana pra cá! Com o final do Campeonato Brasileiro optei por me desligar um pouco e acompanhar, pelo menos por um momento, outros casos e assuntos.

Aos noveleiros, em especial aos que acompanham "A Favorita", de João Emanoel Carneiro, deixo minha indignação e solidariedade pela morte de Gonçalo (Mauro Mendonça).

A cena da morte do velho empresário, dono do Grupo Fontini, foi maravilhosa no que diz respeito à dramaturgia e, ao mesmo tempo, aterrorizante, capaz de nos deixar revoltados e com vontade de mandar a Flora sifu!

Enquanto assistia as cenas - completamente estarrecido - com dó do pobre homem já no chão, totalmente entregue, passei mal com a alegria, o deboche de Flora (Patrícia Pillar). Tive de tomar uns três copos d´água para voltar ao normal. Fiquei bastante chocado com o modo que tudo se desenrolou!

No que se refere às novelas, não sou tão garoto assim, acompanhei, por exemplo, a cruel Odete Roitman, de Beatriz Segall, em "Vale Tudo", nos anos 80. E quer saber? Hoje, vendo a Flora, de Patrícia Pillar, acho a Odete uma aprendiz de vilã. Até a Nazaré, de Renata Sorrah, em "Senhora do Destino", fica no chinelo.

E por falar em chinelo, a Flora bem que podia ser George Walker Bush um dia para levar uma sapatada! Mas, ao contrário do que aconteceu no Iraque, o jornalista - Zé Bob, de Carmo dalla Vecchia - que atirar o sapato não poderá errar!

Terá de acertar em cheio, bem nas fuças da vilã!

Tá aí, sem querer, acabo de ter uma idéia de enquete para este Mandando Pra Rede: O que você faria com a Flora - atirava o sapato ou mandava sifu?

O final, você decide, a partir de hoje, no MPR...

Bom Natal a todos!

www.mandandoprarede.com.br



Escrito por Persio Presotto às 12h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




 
 

CORINTHIANS 2009

Ronaldo: fenômeno eleitoral
 

Por PERSIO PRESOTTO

Sabe quando você tenta organizar suas coisas, deixa tudo em ponto de bala e acaba sendo obrigado a deixar tudo pra depois por culpa de uma "bomba"? Pois é. Assim foi minha semana. Estava preparado, com o texto engatilhado, para tratar sobre os melhores do Campeonato Brasileiro de 2008 e apresentar a minha seleção, só com jogadores que atuam na Pátria amada idolatrada salve, salve!
 
O motivo da mudança de plano atende pelo nome de Ronaldo Nazário, ex-jogador do Milan, de Silvio Berlusconi, recém-contratado pelo Corinthians, de Andrés Sanchez.
 
É evidente que um jogador de peso - sem trocadilho - como Ronaldo, que tem história na Seleção Brasileira e no futebol internacional, é importante para um clube de massa como o Corinthians, ainda mais num momento em que se festeja o retorno do Timão à Série A do Campeonato Brasileiro.
 
A torcida, com razões de sobra, solta rojão!
 
Só que há um porém, um fato que merece análise: no dia 14 de fevereiro de 2009 haverá eleição no Corinthians. Andrés Sanchez tentará a reeleição.
 
Pergunta: Alguém duvida que o atual mandatário usará da contratação do Fenômeno para se reeleger, ao afirmar que "a prova de sua inteira dedicação para o renascer do clube está, não apenas na volta para a Série A, como na renovação da equipe??? "
 
Pouco tempo depois de ser anunciado o acordo entre Corinthians e Ronaldo - feito num guardanapo -, milhares de camisas número 9 com o nome do jogador às costas foram vendidas. Situação que mostra claramente o poder midiático de Ronaldo, mesmo com as inúmeras trapalhadas que cometeu durante o ano.
 
Vendo por esse lado, a chegada de Ronaldo é excelente! As receitas vão aumentar, o patrocínio vai melhorar, o torcedor vai se animar e comparecer ainda mais ao estádio...
 
Só que Ronaldo ainda está fora de forma, em fase de recuperação de uma grave contusão no joelho. E Andrés Sanchez, caso queira se reeleger, não escalará Ronaldo antes do dia 14 de fevereiro...
 
Dr. Sócrates, ídolo corintiano e da Seleção Brasileira, falou com maestria, na TV Kajuru, sobre o assunto:
 
"Eles [dirigentes do Corinthians] não vão correr o risco de ver o jogador jogar mal e a torcida começar a cobrar. Já joguei lá, sei como é... ".
 
"Gosto do Ronaldo, torço por ele, mas ele está sendo usado".
 
Assino embaixo com o Dr. Magrão...



Escrito por Persio Presotto às 17h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




 
 

A GRANDE FINAL

6 - 3 - 3
 

Por PERSIO PRESOTTO

Acabaram-se os palpites, as previsões e especulações no Campeonato Brasileiro. O São Paulo, de Muricy Ramalho e Rogério Ceni, é o único e legítimo Tricampeão do Brasil.
  
A vitória contra o Goiás, no Bezerrão, por 1 a 0, com gol irregular de Borges, por mais que digam o contrário, foi merecida.
  
Afinal de contas, a história da partida realizada na Capital Federal, não se resumiu ao lance do gol.
  
O São Paulo soube se impor e dominou o Goiás do início ao fim.
  
Harlei, goleiro e capitão do Goiás, operou verdadeiros milagres.
  
Ouso, até, afirmar que, não fosse por ele, o placar seria de, no mínimo, 3 a 0 para o São Paulo. 
  
Teve bola na trave, bola salva em cima da linha... Situação que, em nenhum momento, nos fez pensar na derrota, único resultado que seria inaceitável para a equipe paulista.
  
Confesso que, agora, me sinto mais aliviado.
  
É que, durante os 90 minutos, cheguei a pensar que o São Paulo ia pôr tudo a perder, movido por uma falsa vantagem de ser campeão com um empate.
  
Não gosto muito disso.
  
Acredito é na vitória, na obrigação da conquista.
  
Pelo visto, não sou o único a pensar desse modo.
  
Muricy Ramalho, Tricampeão como Rubens Minelli, fez com que seus jogadores recuperassem a auto-estima e dessem uma reviravolta nunca vista antes.
 
Vale lembrar que enquanto Muricy é Tricampeão com o São Paulo, Minelli foi Bicampeão com o Internacional (1975 e 1976) e Campeão com o São Paulo (1977).
  
No início do segundo turno, era praticamente impossível supor que o São Paulo fosse erguer a taça.
  
Estava 11 pontos atrás do líder Grêmio, que o derrotou no Olímpico e no Morumbi.
  
As intrigas foram jogadas para escanteio.
  
Muricy Ramalho teve o grupo na mão, soube o que fazer nas mais difíceis situações sem expor a si ou aos jogadores.
  
Borges e Dagoberto foram decisivos, não se acovardaram em momento algum.
  
O resultado está aí.
  
Nenhum clube possui 6 títulos Brasileiros.
  
Nenhum é Tricampeão.
  
E não podemos esquecer também do trabalho exemplar realizado pela diretoria Tricolor que soube fazer a reposição dos jogadores e solidificar o chamado espírito de grupo.
  
Marco Aurélio Cunha, Juvenal Juvêncio, João Paulo de Jesus Lopes, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, assim como Marcelo Portugal Gouvêa, morto no dia 30 de novembro, foram e continuarão sendo peças importantes nesse processo pra lá de vitorioso neste início de Século 21.
  
A todos, parabéns pelo 6 Brasileiros, 3 Libertadores e 3 Mundiais!
  
200 - 2 - 2ª
No ano em que se comemora os 200 anos da chegada da Família Real Portuguesa no Brasil, dois clubes de origem lusitana são rebaixados para a Série B: Portuguesa e Vasco da Gama.
  
DESTINO 1
Renato Gaúcho parece ser um predestinado: deixou de "brincar" no Brasileiro com o Fluminense, que estava na zona de rebaixamento, para cair com o Vasco.
  
DESTINO 2
Ano passado, quando no Palmeiras, Caio Júnior não se classificou para a Taça Libertadores, pois foi derrotado na última rodada pelo Atlético-MG, por 3 a 1, no Palestra Itália. Ontem, na Arena da Baixada, o Flamengo, de Caio Júnior, acabou goleado pelo Atlético-PR: 5 a 3 e, mais uma vez, não disputará a Libertadores.
  
TRI-LEGAL
O Brasileirão 2008 foi encerrado com três artilheiros: Keirrison, do Coritiba, Kléber Pereira, do Santos, e Washington, do Fluminense. Todos com 21 gols.
  
GOLAÇO
O melhor ataque da competição é o do Flamengo, com 67 gols - média de 1,76 por partida. A melhor defesa, a do Grêmio, que levou apenas 35. Ao todo, foram marcados 1033 gols.
 
GOL CONTRA
O pior ataque do Brasileirão 2008 é o do Ipatinga, com apenas 37 gols. Já a pior defesa é a do Figueirense, vazada em 73 oportunidades.



Escrito por Persio Presotto às 12h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




 
 

ÚLTIMA RODADA

Vai acabar, que pena!
 

Por PERSIO PRESOTTO

O Campeonato Brasileiro está praticamente encerrado. Às 19h do domingo, 7 de dezembro, tudo será passado. Período em que alguns vão festejar, seja pelo título, pela vaga na Taça Libertadores e na Sul-Americana, ou por se livrar do rebaixamento.
 
E, claro, será triste para os que terão que se engalfinharem na Série B na temporada que vem e para os que morrerão na praia (zona neutra), sem garantir classificação aos torneios internacionais.
 
Todos ficarão de olhos vidrados no Bezerrão, onde jogam São Paulo e Goiás e no Olímpico, palco de Grêmio e Atlético-MG.
 
O Palmeiras, que, no Palestra Itália receberá o Botafogo, lutará para conquistar a tão sonhada vaga para a Taça Libertadores, coisa que não conseguiu na temporada passada por ter perdido na última rodada para o Atlético-MG, por 3 a 1.
 
Mas tem o Flamengo, que, se vencer o Atlético-PR na Arena da Baixada, complica de vez o alviverde e rebaixa o arqui-rival Vasco da Gama de Edmundo e Roberto Dinamite, que encara o Vitória da Bahia no caldeirão de São Januário.
 
E não podemos esquecer do Cruzeiro, com o grande desafio de sobreviver no G4 diante da já rebaixada Portuguesa, no Mineirão.
 
No Orlando Scarpelli, em Santa Catarina, o Figueirense enfrentará o Internacional, campeão da Copa Sul-Americana, tendo a obrigação da vitória para não cair e poder realizar no Brasileirão, na temporada que vem, o clássico, catarinense com o Avaí na Série A.
 
Dos 10 jogos desta 38ª rodada, o único "desinteressante", e que não interfere em nada, é o da Ilha do Retiro, em Pernambuco, entre Sport Recife e Coritiba.
 
No mais... prepare seu coração para fortes emoções...
 
ARTILHARIA
Quem será o artilheiro do Campeonato Brasileiro?
 
Essa é mais uma, dentre tantas perguntas "irrespondíveis" até o domingo.
 
Na luta estão: Kléber Pereira, do Santos, com 21; Keirrison, do Coritiba, e Washington, do Fluminense, com 20; Alex Mineiro, do Palmeiras, com 19...



Escrito por Persio Presotto às 00h00
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




EMOÇÃO

Ficou para a última e decisiva rodada

Por PERSIO PRESOTTO

O Fluminense não deu trégua ao São Paulo. E nem poderia ser diferente, afinal, um empate ou vitória frente ao Tricolor paulista afastaria de vez o fantasma do rebaixamento.
 
Renê Simões mandou o time à frente.
 
E Muricy Ramalho, o aniversariante do dia, quase se descabelou com a jogada de Conca, concluída por Washington, que só não foi convertida em gol a 1 minuto de jogo, pelo bom posicionamento de Rogério Ceni.

O jogo no Morumbi, ao contrário do que podia supor, não resultou em grande benefício para o virtual campeão nacional.
 
O Grêmio, nas Minas Gerais, perdia de 1 a 0 para o Ipatinga e o São Paulo levava uma bola na trave em cabeçada de Luiz Alberto.
 
O empate e a virada gremista não demorou e o Tricolor Gaúcho, vivíssimo na corrida pelo título, encerrava a primeira etapa com o placar de 3 a 1.
 
Enquanto isso, no Morumbi, o Fluminense continuava melhor, ditando o ritmo de jogo e catimbando em alguns momentos.
 
O gol da Tartá, aos 4 minutos do segundo tempo, foi um banho de água fria no time da casa.
 
A torcida, que pouco fazia, praticamente se calou.
 
Mas o Tricolor paulista, agarrado na esperança de ser campeão e com a vantagem de estar melhor preparado fisicamente, foi buscar o empate. E o alcançou.
 
Borges foi o grande salvador, por mais uma vez, com a prestimosa e habitual colaboração do goleiro Fernando Henrique.

Mas, à esta altura, a igualdade não era suficiente, pois o Grêmio já comemorava os 4 a 1 no Ipatingão.
 
Muricy tentou de tudo para que o São Paulo ficasse mais ofensivo. Colocou Éder Luís, André Lima e Richarlyson... mas não adiantou.

O Flu era uma verdadeira muralha!
 
E a bola que podia entrar - a cabeçada de André Dias na trave - não entrou, para o desespero de um Cícero Pompeu de Toledo absolutamente tomado.
 
A tão sonhada festa em casa teve de ser adiada para o Bezerrão, em Brasília, onde os são-paulinos enfrentarão o Goiás.
 
Mas não podemos esquecer do Grêmio, que, no Mineirão, vai encarar o Atlético-MG.
 
De certo, até o momento, é o rebaixamento de Portuguesa e Ipatinga, além da classificação do Grêmio para a Taça Libertadores de 2009.
 
No mais, o Brasileirão está em aberto.
 
A última rodada, por estas e outras, promete, e muito!
 
Será algo espetacular, um teste cardíaco dos brabos...
 
Quem resistir, que acompanhe e conte como foi, pois este que lhes escreve provavelmente não terá condições para tanto.



Escrito por Persio Presotto às 18h48
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




37ª RODADA

O Brasil entregue aos Tricolores

Por PERSIO PRESOTTO

Desde o domingo passado, quando o São Paulo derrotou o Vasco por 2 a 1 em São Januário e o Grêmio, no Barradão, foi goleado pelo Vitória por 4 a 2, que o Tricolor paulista é considerado o grande campeão do Brasileirão 2008.

Muricy Ramalho, para escapar dos holofotes e do oba-oba proporcionados pela torcida e a imprensa, tratou de blindar a equipe, atitude pra lá de sensata e correta, pois, no momento, a concentração para a penúltima rodada deve ser total.

Nada está definido. A única certeza é a de que o Brasil está entregue aos Tricolores.

O São Paulo, como já foi dito, é a bola da vez no que se refere ao favoritismo para erguer a taça. Mas o Tricolor paulista terá pela frente o Fluminense, o Tricolor das Laranjeiras, que luta para escapar do rebaixamento e, por isso, precisa da vitória no Morumbi, ou no mínimo de um empate.

Em Minas Gerais, o Ipatinga receberá o Grêmio. E o Tricolor Gaúcho não pode pensar em derrota, resultado que adiaria o rebaixamento do alviverde mineiro e entregaria, de bandeja, a taça para o São Paulo, cinco pontos na frente.

Resumo da ópera: o Fluminense poderá ser o grande vilão ou o grande herói do Brasileiro nesta 37ª rodada.

Se perder para o São Paulo, deixará o torcedor em festa no Morumbi, com a alma lavada e vingada pela eliminação, para o mesmo Fluminense, na Taça Libertadores deste ano, com os 3 a 2 no Maracanã, gol de Washington no último suspiro da fase Quartas-de-Final.

Agora, se o Flu for o vitorioso, o Grêmio é quem vibrará, e muito, pois continuará vivo na disputa do título e terá todas as chances de conquistá-lo na última rodada, por um único ponto de diferença.

Como são-paulino que sou, torço para que as coisas sejam resolvidas em casa, contra o Fluminense, para evitar o drama.

Mas, é inegável o fato de que seria maravilhoso se tudo ficasse para a última rodada, como num verdadeiro teste cardíaco para são-paulinos e gremistas...

Será que o coração agüenta?



Escrito por Persio Presotto às 00h52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]




HOJE É O SEU DIA!

"Comerciais" e "Tapa-buracos"

Por PERSIO PRESOTTO

Tem uma coisa que há muito me incomoda e preciso dizer: detesto, não vejo qualquer sentido nesses feriados "comerciais" e "tapa-buracos" criados de tempo em tempo.

Quanto aos dias “comerciais”, dia dos pais, das mães e das crianças, por exemplo, são ótimos para os comerciantes, que oferecem mundos e fundos e dão descontos a torto e direito. Mas, por outro lado, são datas ímpares para nos deixar neuróticos, pela dificuldade existente para se conseguir reserva em um restaurante, para transitar de carro pela cidade ou comprar o presente na data em si. Definitivamente não dá!

Quanto aos dias "tapa-buracos", vejamos... Na última quinta-feira, 20 de novembro, foi comemorado o "Dia da Consciência Negra". Nada contra, mas nada a favor também. E que não me venha o moralista de plantão dizer que sou preconceituoso, pois não é o caso.

Queira ou não, essa de "homenagear" raça "a" ou "b" com uma data própria é preconceito puro.

Por que somente os negros merecem um dia próprio?

Alguém lá no fundo ergue a mão e responde: pela dívida social existente, devido ao período da escravidão.

Tá... Quer dizer então que, agora, que os negros foram lembrados e homenageados com uma data só deles, a dívida foi paga?

E a cota universitária para os negros?

Desculpe o leitor pela franqueza, mas isso soa tão falso quanto uma nota de 3 Reais. É o mesmo que dizer: "hoje, dia 20 de novembro, é o seu dia, nos demais 364 ou 365, que se dane!". "Já que você é rejeitado socialmente, estipulamos uma porcentagem aceitável para garantir sua vaga na faculdade e não haver protesto por isso".

Cada cabeça uma sentença, já diria o outro. Para mim, tanto a data comemorativa quanto as cotas universitárias são apologia ao racismo.

E digo mais: não acredito que algum negro se sinta incluído socialmente no que diz respeito às cotas, uma vez que esta é uma determinação, imposição do Governo.

Os negros, assim como os brancos, os amarelos... devem ser respeitados pelo que são e como são, não por uma "ordem" ou por questão de caridade, por uma dívida que não pode ser avaliada financeiramente.

Enquanto a mentalidade não for mudada, o preconceito e o racismo sobreviverão sem a chance de um dia acabar.



Escrito por Persio Presotto às 17h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ pp@oboletim.com.br ] [ ]


[ ver mensagens anteriores ]